mente criativa, inspiradora… mente criiadora

Hoje quero partilhar contigo mais uma ideia que me surgiu recentemente…há uma parte de mim que sinto necessidade de pôr ao serviço de cada um e este novo projecto, que vai nascer sob a forma de página instagram @mentecriiadora, vai ser a minha contribuição nesse sentido! 

Uma mente criativa que não perde uma oportunidade de se tornar inspiradora, a junção das duas deu naturalmente o nome escolhido!

Como posso definir esta partilha? Um poço de ideias sem fundo, frases simples, profundas, expressões, palavras…aqui vou publicar o que me sai da mente e acho relevante dividi-lo contigo. Tudo o que escrevo é o que sinto que de alguma forma vai ser útil para alguém num determinado momento presente ou futuro.

Não julgues a informação que recebes, pode ser útil, pode fazer sentido para ti, pode ser algo que estás a precisar de ouvir ou então deixa passar.

O que se espera?

Um espaço que te ajuda a encontrar a paz interior, que te leva a questionar sobre a vida, que pode contribuir para o teu bem-estar… Mensagens positivas para tornar o teu dia mais leve, momentos de reflexão, de consciência através da magia da escrita, 

Frases que alegram o coração <3

De 0 a 10 qual é o teu grau de gratidão?

Se ainda não te questionaste sobre isso, está na hora de o fazer!

Hoje o dia começou com chuva e acabou com sol, porque estou a falar do tempo? Talvez porque a maneira como vivo cada novo dia mudou quer faça sol quer faça chuva, fico grata!

Há uns meses atrás, exactamente numa terça-feira, dia 24 de Setembro de 2019, data na qual escrevi este artigo, partilhei duas imagens do mesmo dia, à mesma hora mas com cenários completamente opostos, como podem ver…uma com o céu azul, sol algumas nuvens brancas e outra um céu encoberto e cinza.

                         

Qual preferes? Adivinho a tua resposta…o AZUL claro!

Eu aprecio ambos, aprendi a aceitar os dois e a vivê-los desse modo. CHUVA, sinto o cheiro da terra, o barulho das gotas que caem no chão, o incómodo da roupa molhada, a água no rosto. SOL recebo os raios bem quentes, a luz natural que me fortalece e aquece, o azul que me apazigua. Adapto-me facilmente e não desperdiço tempo a lamentar-me porque um parece mais agradável que o outro. Sol e chuva são essenciais, nós possuímos a roupa e acessórios adequados para as duas ocasiões, o que diferencia o nosso estado de humor é a visão que temos deles.

Consciente ou inconscientemente, associamos sol a positivo e chuva a negativo, ao invés de estar felizes e gratos por ter a oportunidade de viver cada uma dessas opções, ter a sorte de sair à rua e realizar o que queremos, dedicarmo-nos aos nossos objectivos.

A meteorologia foi apenas um exemplo para recordar que quando aprendemos a ser gratos por coisas tão simples, a vida torna-se mais harmoniosa e alegre. A gratidão começa por aí, o acto de agradecer, de reconhecer, já tinhas pensado nisso?

“Do not spoil what you have by desiring what you have not; remember that what you now have was once among the things you only hoped for.” (Epicurus)

Temos sempre tendência a reclamar por tudo e mais alguma coisa e esquecemo-nos de valorizar tudo o que temos de bom à nossa volta. Todas essas energias negativas transformam por completo o nosso quotidiano e o óptimo que é acordar e ter pela frente 24 horas durante as quais podes escolher o que fazer delas.

Ao mudar a nossa maneira de viver e agradecer por tudo o que temos, encaramos qualquer obstáculo com outra atitude e contribuímos para uma visão da vida mais sorridente e divertida.

Mais parece um discurso de uma pessoa com uma certa idade, mas não o é, tenho pena de não ter aplicado este conceito bem antes. Quanto mais grato és mais a vida flui e mais coisas boas atrais. Temos tudo, na maioria das vezes mais do que o necessário e ainda assim continuamos insatisfeitos logo mais infelizes.

Se não conseguires estar grato pelas coisas simples da vida, por mais que tenhas e possuas nunca vais estar satisfeito!

Nem tudo é perfeito na nossa existência, óbvio que não, mas faz parte da nossa caminhada, o segredo para superar e conseguir levar uma BOA vida, é o comportamento que adoptámos. Lembra-te aceitação é o antónimo de frustração, gratidão o sinónimo de boa disposição.

Quanto mais negativismo carregarmos mais da doçura da vida nos afastamos, sê grato e aprende a ver felicidade nas coisas imperfeitas.

“Há pessoas felizes e não têm NADA, há pessoas infelizes e têm TUDO!”

Agradeço sistematicamente tudo o que tenho, a saúde, minha e das pessoas de quem mais gosto estando perto ou longe, a possibilidade de correr atrás dos meus sonhos, os valores que defendo, onde dormir, o que comer, como me cuidar etc…tudo o resto são detalhes. Se já estou feliz com o que tenho, o extra só me pode trazer ainda mais felicidade. Se ao contrário, priorizasse o facto de ainda não ter o que desejo, iria vivendo constantemente na tristeza, depressão, desilusão, insatisfação.

Tudo é um ciclo, o que tu CRIAS é o que GERAS!

Gratidão dá-nos ânimo e força para se focar no essencial, preenche o nosso corpo de um sentimento BOM, bem-estar!

De 0 a 10, dou 8 e tu o quanto te sentes grato pela vida que tens?

O que quer que faças, fá-lo com o coração!

Mais do que a ambição, vale a intenção.

(vê além do evidente…)

Conta as vezes que sentiste orgulho no que realizaste, não pelo reconhecimento, retorno financeiro ou outro mas sim pela causa em si! Este artigo vai de encontro ao que escrevi ultimamente o que ganhas ao deixar de te focar só em ti?, a diferença é que o ponto fundamental a desenvolver aqui não és TU mas sim as tuas ACÇÕES.

Dada a minha mudança de comportamento, gosto de escrever sobre estes temas porque se aconteceu comigo talvez também já o tenhas vivido, no caso de não ter surgido, esta é a boa altura para reflectir sobre o assunto.
Quando temos projectos, sonhos, objectivos… queremos alcançá-los, mas qual o verdadeiro propósito?

Eu não sei tu, mas quando tinha algo em vista pensava logo no resultado final e todas as etapas necessárias até ao seu desenlace ficavam em segundo plano, não me lembrava de que maneira isso poderia contribuir para um mundo melhor, apenas queria lá chegar. De novo inconscientemente!

Nada melhor que um bom exemplo para te ajudar a perceber o que me vai na mente! Se não estás convencido, lê o que se segue!

Como não é de admirar vou recorrer à Moda para ilustrar o que quero demonstrar. É curioso e surpreendente o quanto podemos melhorar enquanto seres humanos.

Sendo uma grande apaixonada de Moda, podia vivê-lo de forma mais comercial, inconsciente e não tão militante, ou seja, vestir e expor roupas focando-me no que quero para mim, pensar no FIM = atingir muito público sem olhar aos meios que estou a utilizar. Que tipo de roupa estou a vestir? Que imagem quero deixar? Que ideia da Moda quero transmitir? Qual é a minha responsabilidade?

Mas como em tudo o que tento concretizar na minha vida, não quero APENAS fazer por fazer, a ambição está lá, é uma ferramenta indispensável, que nos motiva e dá força para avançar, mas tem de ser moderada e questionada para que os nossos passos não sejam dados em vão.

Claro que quero influenciar muitas pessoas, óbvio que é gratificante atrair pessoas que se identifiquem comigo, com as minhas convicções e valores, evidente que quero ter um público gigante que adore ler o que escrevo, o que partilho, o que incentivo, ESSA É A MINHA AMBIÇÃO, mas mais forte ainda é a minha INTENÇÃO.

A minha função é convencer tantos quanto possível que consumir pode ser feito de outra forma mais consciente, mais amiga e benéfica entre outros pontos. Uso a área na qual me sinto feliz, para transmitir o melhor que posso às pessoas que me rodeiam, respeitando o que acho correcto, alertando para estratégias que acho pertinentes aplicar, aconselhando dentro do que me sinto capaz o melhor de mim para o bem dos outros.

Eu vou lá chegar sem dúvida, mas demore o tempo que demorar é desse modo que vai acontecer.

Empreender com sentido, dá outro sabor ao resultado!

Imagina se em cada uma das tuas actividades sentisses mais e pensasses menos? Faz apelo ao teu coração e não te limites à tua mente!

Seja qual for o desafio que abraçamos durante o nosso percurso pessoal, profissional…se colocarmos toda a nossa boa vontade, dedicação, INTENÇÃO, construímos assim um final feliz para ti, para os outros.

Mais do que ser relembrado por quem tu eras, sê recordado pelo que tu fizeras!

Uma pequena história:

Um casal quer construir a sua primeira casa, um lar, o investimento das suas vidas, pede então a um empresário da área para o fazer.

O constructor civil tem face a ele duas hipóteses, fá-lo porque pensa no FIM, ou seja no dinheiro que vai ganhar (tem a sua ambição: construir muitas casas para se tornar mais conhecido e ser um homem de negócios) ou então além disso coloca toda a sua boa vontade para o executar, mais do que o factor monetário vai ainda sentir a satisfação de ter contribuído para a felicidade daquele casal.

No fundo se pensarmos bem, o que acontece é que agimos frequentemente como máquinas, fomos formatados e temos capacidades para tal ou tal tarefa, executamo-la na perfeição, mas esquecemo-nos de sentir, de exibir com orgulho o nosso lado bom. Faz falta encarar mais momentos da nossa vida com o <3!

Porque pensar nos OUTROS faz de nós pessoas melhores, mais RICAS, não tenhamos receio de o fazer.

O que damos de coração recebemo-lo a DOBRAR!

Espero que esta fiada de frases tenha feito o seu efeito, era esse o meu grande desejo!

Se assim o foi, fico FELIZ, por TI e por mim.

Quando foi a tua última vez em que pensaste com o coração?

P.S: Sendo este o meu primeiro artigo do ano, aproveito para te desejar um feliz 2020 vivido com mais SENTIDO e consciência. 

Primeira vitória no vintage!

Hoje apetece-me partilhar convosco um estado de espírito, há uns meses atrás quando comecei a vender as minhas peças vintage sabia que essa era uma das minhas missões mesmo tendo consciência do trabalho que tinha pela frente. Trabalho porque grande parte do meu público não estava e não está habituado a esse modo de comprar. O meu papel era sensibilizar e captivar as pessoas para esta tendência que para mim é o futuro. Foram precisos 6 meses até conseguir vender a minha primeira peça :). Mas que satisfação! Às vezes quando as coisas demoram o seu tempo a acontecer mas tens a certeza de que esse é o caminho não desistas! Segue a tua intuição e não dês ouvidos ao lado racional. Uns dias bons outros menos mas toda a garra, investimento, desempenho, determinação e fé levam-nos ao caminho certo. Mais do que vender o meu objectivo é contribuir à minha maneira para um mundo melhor. Trazer cor, originalidade, qualidade para a vida de cada um graças ao vintage (quando digo vintage incluo também segunda mão)! Para os amantes e já habitués do vintage um até já. Para os que ainda não deram o primeiro passo, pondera fazê-lo, bora lá, vais ver que não dói :), tenho a  certeza depois de provar não vais querer outra coisa!

Este Natal oferece melhor, com mais CONSCIÊNCIA!

E não é que já vamos a meio de Dezembro e com ele vem também o espírito de Natal, não que seja apologista da ideia que um Natal Feliz é aquele inundado de prendas materiais, porque Natal Feliz é vivido junto dos seres que mais amamos, da nossa família. Para ser sincera, Natal Feliz, não desvalorizando os mais recentes, era passado a 8 ou 9 na cama do avô a ver televisão a preto e branco, onde o foco não estava nas prendas mas sim no momento. Mesmo se a ansiedade da manhã seguinte para descobrir o presente que nos esperava no sapato posto junto da lareira, era muito bem-vinda. Nostalgia boa!

Todos nós gostamos de dar e receber, este Natal oferece com mais SENTIDO e consciência.

E se tomasses uma nova resolução antes de começar 2020?

Escolhe a tua peça vintage e oferece com orgulho, carinho e muito AMOR! Ao fazê-lo, estás de certeza a ajudar a mudar a atitude da outra pessoa e aos poucos avançando para um mundo melhor. Devagar se vai ao longe, não é assim que se costuma dizer?!

Juntos espalhamos o gosto pelo vintage e o nosso planeta sorri <3!

A mudança começa por TI! 

Dá uma olhadela no @ladiscrete_vintage e no MARKET vintage aqui do blog e vê se alguma das peças desperta a tua atenção, agora não tens desculpa, eu estou aqui para te ajudar a melhorar a tua maneira de consumir roupa. Consumo consciente alegra o coração!

O que GANHAS quando te atreves a ser mais espontâneo?

o-que-ganhas-quando-te-atreves-a-ser-mais-espontâneo

Joga tu também comigo esta PARTIDA!

Hoje lancei-me um desafio e não tarda vais tu, e eu, perceber qual é! Como todas as vezes em que me decido a escrever, medito durante algum tempo, a minha ferramenta para ficar mais serena, pôr as ideias no lugar e concentrar-me no que quero transmitir às pessoas.

Há sempre excepções, no caso das viagens de carro, comboio ou avião, a inspiração chega espontaneamente, o meu cérebro mais parece uma caixa de ideias, surgem do nada e atropelam-se entre elas, por isso tenho sempre comigo uma caneta e um pedaço de papel, gosto da sensação de escrever, o contacto da tinta com a folha, formar cada palavra e juntas construir uma mensagem. Da mesma forma que aprecio o barulho das teclas e o desfilar dos símbolos no ecrã do computador criando a dois o significado procurado.

Normalmente antes de escrever faço um rascunho, título, palavras chave e organizo o corpo do artigo, a inspiração acontece e o texto vai ganhando força e torna-se progressivamente mais completo. Sendo uma pessoa organizada, gosto de estruturar cada passo, com o intuito de proporcionar um bom momento de leitura, uma pausa de alguns minutos, onde a atenção está focada no que está escrito e onde faço “divagar” as pessoas para outro “mundo” no qual cada uma tira a sua própria interpretação.

Para contrariar este lado mais “controlador” de querer sempre tudo perfeito, abri uma nova página do meu caderno e deixei cada palavra falar por si só, uma a uma… permiti que a magia dos signos operasse! Dois parágrafos e continuo a tentar perceber qual vai ser a razão e o tema do que vou partilhar convosco. Humm…agora que estou a pensar talvez já saiba do que se vai tratar <3…o poder da espontaneidade!

“Espontaneidade é a condição de algo ou alguém que é espontâneo, ou seja, que age de modo natural, verdadeiro e simples.”

“Perdoa-me’’se desta vez o que estás a ler não está a seguir o caminho habitual mas o propósito foi exactamente esse. Deixa fluir, deixa surgir, deixa ser… Porquê controlar sempre tudo o que nos determinamos a concluir?

Parece que já cheguei à parte principal, e se tentássemos ser mais espontâneos, mais soltos, mais livres?

Começar desse modo, assusta um pouco, no meu caso pensei como é que vou construir uma boa matéria sem nenhuma preparação, sem tão pouco saber do que vou falar, o foco do assunto e olha o resultado, espero que tu, tanto quanto eu estejas a gostar da experiência. Eu estou a ADORAR e vou com certeza aplicar este princípio em tantas outras situações da minha vida!

O que aconteceu para que tudo desse certo, para começar num conjunto de letras e estar a atacar o meu quinto ou sexto “capítulo”? CONFIEI que era capaz de o fazer, acreditei nas minhas capacidades e libertei-me, deixei a minha intuição falar, expressar-se…deixei correr, como a água corre num rio. Tudo é possível quando não te impões regras exageradas, ao invés de criar algo de bom, acabas por bloquear a tua energia e estragar o que ia ser naturalmente positivo. Temos tendência a levar a vida demasiado restringida e o giro e a graça das coisas é muitas vezes esse lado espontâneo, bruto, VERDADEIRO.

Lembra-te daquela boa conversa com um grupo de amigos, onde contas um episódio da tua vida onde foste “ingénuo”, sincero, no qual agiste ou respondeste sem pensar e qual foi o desenlace? Uma boa gargalhada, chorar de rir e um momento que sabe sempre bem recordar e reviver, porque foi algo de puro, autêntico, sem previsões, sem planos.

Agora que o estou a relatar, lembro-me eu também de um encontro similar e faz-me bem, estou a sorrir, fazem falta na nossa vida, regularmente stressante, louca, complexa e excessivamente preenchida, uma oportunidade para relaxar e vivermos com mais leveza!

“O que se leva desta vida é o que se vive e o que se faz dela” não é assim que se costuma dizer?!

Vamos juntos dar um nome a este acto de espontaneidade? Criar o título adequado para esta conversa!

O que GANHAS quando te atreves a ser mais espontâneo?

Achaste piada a esta prova? Espero ter-te contagiado com esta pequena distracção e que tenhas passado um bom bocado, não previsto para este fim de dia.

Obrigado por estares desse lado!

Fica por aí…até breve.

 

 

QUE PEUT-ON GAGNER EN ÉTANT PLUS SPONTANÉ? 

Es-tu prêt à m’accompagner dans ce CHALLENGE?

Aujourd’hui, je me suis lancée un défi, toi et moi nous allons bientôt le découvrir! Comme pour toutes les fois où je dois écrire, je médite le temps de quelques instants, un moyen de me sentir plus zen, de me concentrer et de comprendre quel message je veux faire passer aux personnes qui me lisent.

Bien sûr, cela ne se passe pas toujours comme ça, dans le cas des voyages en voiture, en avion ou en train, mon inspiration coule de source, vous savez tous ce qu’est une boîte à idées, c’est exactement ce à quoi je compare mon cerveau, des idées plein la tête. Du coup, je ne me déplace jamais sans un bout de papier et un stylo, j’aime la sensation d’écrire, le contact de l’encre avec la feuille, le fait de créer chaque mot et qu’ensemble ils aient un sens. De la même façon que j’apprécie le bruit des touches et le défilé des symboles sur l’écran de mon ordinateur, construisant à deux un message.

D’habitude avant d’écrire, je prépare un brouillon, le titre, les mots-clés et puis j’organise la suite de l’article, mon inspiration se manifeste et mon texte se construit peu à peu. La rigueur étant une de mes caractéristiques, je ne peux m’empêcher de structurer chaque pas. Mon intention est de vous faire vivre un bon moment, une pause lecture, pendant laquelle chacun de vous reçoit à sa manière ce qui est dit, une sorte de “voyage” ailleurs.

Dans le but de contrarier ce côté plus «rigide », de vouloir constamment que tout soit parfait, j’ai ouvert mon cahier et j’ai laissé les mots parler à ma place…je me suis permise d’assister à la magie de la spontanéité! Deux paragraphes et je continue à essayer de comprendre quelle est la raison et le sujet de ma publication. Humm…maintenant que j’y pense je sais peut-être quel sera le théme <3… le pouvoir de la spontanéité!

“Spontanéité: quelque chose ou quelqu’un qui est spontané, c’est-à-dire, naturel, sincère et simple.”

“Excuse-moi” si cette fois ma rubrique ne ressemble pas aux précédentes mais c’est fait exprès. Laisse faire, laisse venir, laisse être…Pourquoi cette obstination à contrôler le moindre acte?

Voilá je pense que j’ai atteint le coeur du sujet, et si nous essayions de devenir plus légers, plus libres?

Au début on a peur car on n’a pas l’habitude, dans mon cas je me suis demandée comment vais-je réussir à produire un bon contenu sans rien avoir travaillé, même pas l’idée en soi et puis regarde, voilà le résultat, comme quoi! J’espère que tu apprécies autant que moi cette expérience. Je me suis RÉGALÉE et je vais certainement étendre ce principe à d’autres situations de mon quotidien!

Une dizaine de mots, de phrases et j’en suis à mon cinquième ou sixième “chapitre”, je ne les compte plus…quel est le secret de ce succès? J’ai tout simplement fait CONFIANCE à mes capacités, à mon instinct, je me suis dite que j’en étais capable et j’ai laissé libre cours à mon intuition, à mes pensées…Tout est possible quand tu ne t’imposes pas de règles de manière exagérée, car au lieu de créer quelque chose de bien tu finis par gâcher ce qui allait être naturellement positif, VRAI.

Rappelle-toi de la dernière sortie avec ton groupe d’amis, la fois où tu t’es permis d’être toi-même, “naïf”, spontané, sincère, sans rien prévoir ni programmer, quelle a été la sensation? Mort de rire, rire jusqu’à en pleurer, je suppose, des moments de bonheur, de joie tellement c’était pur, authentique, pas planifié, juste ce qui est.

J’y pense et moi aussi j’ai vécu des épisodes semblables, je revois les scènes et j’en rigole tellement c’était drôle. Dans une vie de plus en plus stressante, folle, complexe et excessivement agitée, il devient urgent de lâcher prise et d’apprendre à vivre de façon plus douce, nous avons besoin de plus de “bonnes” folies!

“Plus important que la vie en elle même, c’est ce qu’on en fait d’elle”! C’est bien ce que l’on a l’habitude d’entendre, non?!

Ensemble nous pouvons désormais nommer cet acte de spontanéité, le titre qui va à merveille avec cette discussion.

Que peut-on GAGNER en étant plus spontané?

As-tu aimé ce jeu? J’espère t’avoir fait plaisir avec ce petit moment inattendu pour cette fin de journée.

Ravie de ta présence!

À bientôt pour une nouvelle pause lecture.

Pin It on Pinterest