Como descobrir o que te faz feliz?

Um dia destes alguém comentou comigo durante uma conversa “às vezes não é claro identificar o que nos faz feliz!”

Senti necessidade de escrever sobre este tema porque fez-me reviver a minha decisão de mudar de vida. Na altura era administrativa numa empresa, lembro-me como se fosse hoje a manhã em que me atrevi discretamente a partilhar com os meus colegas que iria deixar aquele posto porque me queria reconverter profissionalmente.

“…pelo menos tens sorte, sabes o que te faz feliz!” comentara a minha vizinha de trabalho.

A verdade é que nem eu sabia muito bem o que estava a concretizar, simplesmente deixei-me levar porque tinha a vantagem, no meio de um turbilhão de emoções e indecisões, de acreditar no que me fazia feliz, no meu fio conductor, a moda.

O mais surpreendente é que passado dois anos, a minha paixão continua a ser sem dúvida a moda mas não vivida como as pessoas “normais” porque o meu percurso assim não o é. Eu própria dei um sentido a este sonho que me enche o coração e através dele encontrei o meu propósito <3.

SONHA E ENCONTRARÁS A RESPOSTA!

Mas voltando novamente ao tema, como é que podes descobrir o que te faz feliz?

De maneira geral, todos nos sentimos felizes por ter pessoas que adoramos à nossa volta, marido, filhos, namorado, família… mas não impede que UMA parte de nós esteja infeliz, apagada, adormecida. Esse sentimento não tem que gerar culpabilidade, porque A não impede B.

A vida é tão boa para não ser levada a sério!

Proponho alguns exercícios fáceis que te vão ajudar a compreender o que está a faltar para que tenhas uma vida ainda mais preenchida e feliz.

Se bem que agora estamos todos em casa, são períodos idênticos a estes que nos permitem abordar questões mais profundas. No trabalho, reflecte sobre as coisas boas que gostas de fazer, cria uma lista de passos que por uma razão ou outra te dão algum prazer.

Durante toda a tua vida, realizaste tarefas que apesar de trabalhosas acabaram por ser experiências compensadoras e alegres. Por exemplo planear uma festa de aniversário para um familiar, ocupar-se de toda a organização, compras, decoração, que resulta automaticamente numa sensação agradável, onde te sentes responsável, útil, contente e grata. Para quem gosta de actividades ligadas a eventos, eis uma dica que merece ser explorada.

Ouve uma música que te faz sonhar e imagina-te num cenário onde te sentes radiante, o que precisas? o que te rodeia? qual é a tua atitude? qual é o teu papel? como estás vestida? cheiros? cores? sons? abstrai-te da realidade e recebe esse instante como o teu ponto de partida.

Pensa com o coração, o teu lado mais verdadeiro.

Volta ao passado, lembra-te de ti enquanto criança, o que gostavas de fazer? como ocupavas o teu tempo? o que te roubava um sorriso ou uma valente gargalhada?

Quais as palavras, expressões, filmes, pessoas, objectos que te marcaram ao longo da tua caminhada, tenta decifrar qual a conexão que te ligava a eles? (comportamento, profissão, filosofia de vida, estilo, local, utilidade,…)

Para todo um fim há um começo!

Marca num caderno ou regista na tua mente sem julgamento, as informações colectadas.

Não queiras ver o racional em tudo o que obtens, aceita o que recebes hoje e fica atento ao que surge depois.

Tem fé, coragem, sê paciente e se acreditares, vais lá chegar!

Quando a vida nos ensina a parar.

Quando a vida nos ensina a parar.

Somos apenas um peão num jogo de xadrez. Todos sentimos um aperto no coração porque estamos presos, temos a sensação de não ter liberdade, de não poder ir onde sempre fomos… Eis a questão, habituamo-nos tão fácil e inconscientemente a fazer o que nos apetece que a

Ler mais
Mãe, tenho saudades…

Mãe, tenho saudades…

de ver o teu rosto, de ouvir a tua voz, de brincar contigo, de chamar a palavra mãe, de sentir o teu abraço, de te dizer que estou feliz porque estou a correr atrás dos meus sonhos, de desabafar contigo porque não percebo este mundo, de te pedir o meu prato preferido po

Ler mais
Quem é a Ana?

Quem é a Ana?

Uma carta dedicada a todas as mulheres. A Ana é uma mulher forte, segura, sábia, fria, às vezes um tanto ou quanto “arrogante”, austera, capaz de controlar qualquer tipo de situação, guerreira, detentora de solução para todos os problemas, mas mais do que is

Ler mais

Pin It on Pinterest